Com reservas, Brasil vira sobre o Paraguai e classifica Uruguai no Pré-Olímpico

Com uma formação reserva, a seleção brasileira sub-23 saiu atrás do pressionado Paraguai na noite desta sexta-feira, mas buscou a virada e venceu por 2 a 1, pela rodada final da primeira fase do Pré-Olímpico, disputado na Colômbia. O resultado classificou o Uruguai para o quadrangular final, para o qual o time brasileiro já estava garantido.

O Brasil terminou, assim, a primeira fase com 100% de aproveitamento: quatro vitórias em quatro jogos. Soma, portanto, 12 pontos, na liderança disparada do Grupo B. O Uruguai, com seis, também avançou. Já o Paraguai, que precisava da vitória nesta sexta, se despediu da competição com apenas três pontos. Pelo Grupo A, avançaram a Argentina e a Colômbia.

A seleção brasileira voltará a campo na segunda-feira, em sua estreia no quadrangular decisivo do Pré-Olímpico. A partida será disputada na cidade de Bucaramanga, também na Colômbia, e terá nas tribunas a presença de Tite, técnico da seleção principal.

Nesta sexta, o Brasil entrou em campo já classificado para o quadrangular final do torneio que concede duas vagas para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em julho. Por isso, o técnico André Jardine aproveitou a partida desta noite para fazer testes e observações no grupo. Desta forma, escalou uma equipe praticamente toda reserva.

Em relação ao jogo anterior, contra a Bolívia, ele promoveu dez alterações. Somente o meio-campista Matheus Henrique foi mantido entre os titulares. E, mesmo municiado de reservas, o time brasileiro foi para cima no primeiro tempo e foi claramente superior ao adversário nos primeiros 45 minutos.

O principal nome do Brasil na etapa inicial foi Pepê. O jovem jogador do Grêmio desperdiçou as melhores oportunidades do primeiro tempo. Logo aos 7 minutos, ele chegou a ficar cara a cara com o goleiro Arzamendia, mas parou na grande defesa do paraguaio. Um minuto depois, ele perdeu outra boa oportunidade, desta vez de cabeça.

As oportunidades desperdiçadas começara a preocupar aos 23, quando o lateral Dodô recebeu belo passe de Yuri Alberto, entrou na área e acertou belo chute de cavadinha, para fora. Os erros de finalização passaram a ser a tônica da atuação brasileira, como também aconteceu aos 46, em chute de Igor Gomes para fora.

Depois de dominar a etapa inicial, a seleção brasileira voltou mais lenta para o segundo tempo. A lentidão foi agradava pela melhor disposição do Paraguai, que precisava da vitória para obter a classificação. O time rival voltou mais atento e acelerado e passou a “engolir” o time brasileiro com facilidade.

Os paraguaios começaram a criar seguidas chances de gol. Aos 10, o goleiro Cleiton derrubou Franco dentro da área, mas a arbitragem não anotou a penalidade. Cinco minutos depois, Hugo Fernández cobrou falta na área e Roberto Fernández cabeceou para as redes.

O empate brasileiro só veio quando Jardine passou a colocar os titulares em campo. Assim, entraram Paulinho e Bruno Guimarães em sequência. E foi justamente Guimarães quem deu a assistência para Paulinho entrar na área, conter a marcação e acertar belo chute para empatar o duelo, aos 29 minutos.

Nos minutos finais, cada equipe teve uma boa chance de balançar as redes. Aos 40, Pepê acertou uma cabeçada quase à queima-roupa Arzamendia fez linda defesa. Na sequência, Bareiro, livre na pequena área, mandou por cima do travessão.

Quando os paraguaios ainda se lamentavam, o Brasil decretou a virada no placar, aos 43 minutos. Pepê fez rápida tabela com Igor Gomes dentro da área e anotou belo gol, sacramentando o triunfo brasileiro. O atacante do Grêmio é um dos artilheiros da competição, com os mesmos três gols do colombiano Carrascal e do boliviano Abrego.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 2 x 1 PARAGUAI

BRASIL – Cleiton; Dodô, Bruno Fuchs, Ricardo, Iago; Maycon (Caio Henrique), Matheus Henrique (Bruno Guimarães), Igor Gomes, Bruno Tabata; Yuri Alberto (Paulinho) e Pepê. Técnico: André Jardine.

PARAGUAI – Marino Arzamendia; Rodi Ferreira (Giménez), Meza, Salcedo (Roberto Fernández), Espinoza; Villasanti, Morel, Paredes (Sergio Díaz), Hugo Fernández, Iván Franco; Bareiro. Técnico: Ernesto Marcucci.

GOLS – Roberto Fernández, aos 15, Paulinho, aos 29, e Pepê, aos 43 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Bruno Fuchs, Espinoza, Villasanti, Paredes.

ÁRBITRO – Piero Maza (Chile).

RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis.

LOCAL – Estádio Centenário de Armenia, em Armênia, na Colômbia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui